PROCEDIMENTOS CIRURGICOS

TESE e Micro-TESE

Azoospermia, a ausência de espermatozoides no ejaculado, é o diagnóstico em 10 a 15% dos casos de infertilidade masculina. Pode ser classificada em Obstrutiva, quando há alteração ou obstrução do trânsito dos espermatozoides, ou Não Obstrutiva, quando há prejuízo na produção dos espermatozoides.

A azoospermia obstrutiva pode ser potencialmente tratada por técnicas como PESA (punção aspirativa) e MESA (aspiração microcirúrgica) para a aspiração de espermatozoides direto epidídimo.

Em casos de Azoospermia Não Obstrutiva é realizada a abordagem direta do testículo para captação de espermatozoides, pelas técnicas de TESE ou Micro-TESE, conforme explicado a seguir. Nelas são extraídas uma amostra dos túbulos seminíferos, locais onde são produzidos os espermatozoides.

Espermatozoides

Para quem é indicado?

Tanto a TESE quanto a Micro-TESE são indicadas para homens diagnosticados com Azoospermia Não Obstrutiva.

TESE

A Extração Espermática Testicular, conhecida como TESE, é uma técnica que visa coletar espermatozoides diretamente dos testículos de homens diagnosticados com Azoospermia Não Obstrutiva.

Como é realizado?

Em centro cirúrgico e sob anestesia, o profissional urologista realiza uma incisão de 2 cm na bolsa testicular do paciente, para que seja possível acessar o testículo. Em seguida é realizada a abertura do testículo para extrair pequenos fragmentos, em que são analisados os túbulos seminíferos. Ao final, a incisão é suturada com fio cirúrgico.

Com taxa de sucesso varia de acordo com a causa da azoospermia não-obstrutiva, com média de 35% (17 a 45%) de sucesso.

Injeção

Micro-TESE

Considerado o procedimento mais eficaz para possibilitar a reprodução de homens diagnosticados com Azoospermia Não Obstrutiva, a Micro-TESE é uma evolução da TESE e permite que o médico utilize um microscópio cirúrgico durante o procedimento de extração dos túbulos seminíferos. É atualmente o procedimento padrão-ouro para o tratamento.

Como é realizado?

Para melhorar as condições de análise dos túbulos seminíferos, durante a Micro-TESE o profissional utiliza um microscópio cirúrgico, facilitando a visualização dos túbulos seminíferos com maior possibilidade de presença dos espermatozoides.

Durante o procedimento, semelhante à TESE, os túbulos seminíferos mais dilatados são extraídos e analisados em tempo real pelo(a) biólogo(a). Caso sejam encontrados espermatozoides, o cirurgião permanece analisando o mesmo testículo e, caso contrário, é possível abordar o outro testículo.

A taxa de sucesso da Micro-TESE é maior que da TESE, varia de acordo com a causa da azoospermia obstrutiva, estando em torno de 55% (45 a 63%). Sua indicação e realização deve ser feita por um urologista especializado em andrologia e infertilidade masculina.

Máscara Originare Injeção