TRATAMENTOS PARA ENGRAVIDAR

Doação de Embriões

Assim como a doação de óvulos e de espermatozoides, a Doação de Embriões é um tratamento de reprodução assistida regulamentado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), cumprindo sempre as exigências de anonimato entre doadores e receptores e a não comercialização desses embriões.

Ou seja, o casal receptor, em hipótese alguma, conhecerá o casal doador. Apenas características físicas e informações genéticas são compartilhadas com o casal receptor.

Mãe segurando pézinhos do bebê

Durante o tratamento de Fertilização In Vitro (FIV), nem sempre são utilizados todos os embriões formados. Neste caso, o casal com embriões excedentes, já com prole constituída (sem o desejo de ter mais filhos), pode optar pela doação desses embriões para outros casais com problemas de infertilidade ou mulheres que desejam a maternidade independente e não possuem mais óvulos de boa qualidade.

Na Originare, somente são congelados os embriões viáveis, com chances de implantação no futuro, considerando sempre as condições de saúde da mulher que receberá o embrião.

Para quem é indicado?

A Doação de Embriões geralmente é indicada para casais em que ambos possuem algum fator de infertilidade podendo estar relacionada ao homem:

  • Varicocele;
  • Azoospermia;
  • Vasectomia;

E na mulher

  • Baixa reserva ovariana;
  • Menopausa precoce;
  • Abortos de repeticão;

A indicação da Doação de Embriões deve ser feita por um médico especialista em reprodução assistida que fará o acompanhamento do caso.

Como funciona?

O casal receptor é avaliado pelo especialista que identifica as condições de saúde da paciente que receberá o embrião, além da compatibilidade de características físicas e tipo sanguíneo do casal receptor com o casal doador.

Após a escolha do embrião, a paciente receptora inicia o preparo do endométrio (camada interna do útero) para transferência embrionária. Esse preparo se inicia entre o primeiro e terceiro dia da menstruação, quando a receptora passa a usar uma medicação indicada pelo médico responsável pelo tratamento, com duração de cerca de 15 a 20 dias, cujo objetivo é preparar o endométrio para receber o embrião.

Esse preparo também pode ser feito de forma natural (sem medicação). Nesse período, a mulher realiza acompanhamento com ultrassonografia transvaginal para avaliar o crescimento do endométrio e o melhor momento de realizar a transferência embrionária.

Quando o endométrio está pronto, o embrião, ou os embriões, são transferidos para a cavidade uterina através de um cateter. Após a transferência embrionária, espera-se cerca de 9 dias para a realização do exame Beta HCG, exame de gravidez.

Nota: A realização do tratamento não é garantia de gravidez, devido a fatores biológicos, físicos e individuais de cada paciente.