PROCEDIMENTOS COMPLEMENTARES

Congelamento de Óvulos, Espermatozoides e Embriões

Os avanços das técnicas de reprodução humana permitiu que homens e mulheres preservem sua fertilidade através do congelamento (ou criopreservação) de óvulos, espermatozoides e embriões.

A preservação da fertilidade consiste no armazenamento (congelamento) dos gametas femininos (óvulos) e masculinos (espermatozoides), ou até mesmo de embriões para uso futuro.

Exame médico

Para quem é indicado?

O congelamento de óvulos, espermatozoides ou embriões é indicado para pacientes com desejo reprodutivo, mas que por algum motivo desejam postergar essa decisão.

A preservação da fertilidade através do congelamento de gametas ou embriões não garante uma gestação, mas aumenta as possibilidades no futuro, caso a gravidez não ocorra de maneira natural e exista a necessidade do apoio dos tratamentos de reprodução assistida.

O congelamento de gametas ou embriões também é altamente indicado para pacientes que serão submetidos a algum tratamento que pode comprometer sua fertilidade como, por exemplo, o tratamento oncológico.

Quando falamos em pacientes que desejam engravidar e são diagnosticadas com câncer, a oncofertilidade é uma possibilidade de preservação da fertilidade para uma possível gravidez no futuro.

O tratamento de quimioterapia ou radioterapia podem comprometer a fertilidade de homens e mulheres em idade reprodutiva.

Por isso, realizar o congelamento de óvulos, espermatozoides ou embriões é possível e deve ser considerada.

A criopreservação é uma técnica complementar à Fertilização In Vitro (FIV) e permite ainda o congelamento de tecido ovariano e testicular para pacientes diagnosticados com câncer.

Como é realizado?

Pacientes que desejam congelar os seus gametas ou embriões devem, antes de tudo, procurar uma clínica de reprodução assistida para que recebam todas as orientações referentes ao procedimento e realizem exames para avaliação individualizada do paciente ou casal.

Confira, a seguir, como é realizado cada um dos procedimentos.

Dr. Carlos Izzo

Congelamento de Óvulos

O congelamento de óvulos é uma opção para pacientes que desejam adiar o plano da maternidade, mas também pode indicado para casos como:

  • Baixa reserva ovariana
  • Pacientes com história familiar de menopausa precoce ou falência ovariana prematura
  • Pacientes que serão submetidas a tratamentos oncológicos
  • Pacientes doadoras de óvulos

Mulheres que recorrem ao congelamento de óvulos são submetidas ao processo de estimulação ovariana através de medicações para aumentar a produção de óvulos, indução da ovulação e a coleta de óvulos.

Após a coleta, os óvulos são enviados ao laboratório para serem congelados e utilizados no futuro, caso seja necessário.

O congelamento de óvulos não exige que a paciente possua um parceiro no momento, ou seja, é uma técnica totalmente independente e quando realizada antes dos 35 anos, possibilita uma melhor qualidade desses óvulos. Quanto mais jovem for a paciente, melhor é a qualidade dos óvulos congelados, aumentando as chances de uma gestação do futuro.

A vitrificação, que é um congelamento ultra rápido garante a estrutura e a qualidade do óvulo que será congelado com excelentes taxas de descongelamento.

Congelamento de Embriões

É comum que os pacientes que realizam uma Fertilização In Vitro tenham embriões excedentes durante o tratamento. Todo processo de estimulação da ovulação pressupõe o crescimento de um maior número de óvulos para fertilização.

Os embriões saudáveis que não são transferidos devem ser congelados para utilização no futuro, caso seja necessário realizar um novo tratamento ou para casais que desejam ter mais filhos.

A indicação de congelamento de embriões também pode ser feita para realização do Teste Genético Pré-Implantacional, para avaliação de doenças genéticas familiares previamente conhecidas. Os embriões são biopsiados e congelados até que o resultado da análise genética seja realizado.

Outro caso ainda é quando, em determinado ciclo de FIV, o endométrio (camada que reveste o útero) da paciente não se encontra receptivo para a transferência de embriões naquele ciclo. Neste caso, os embriões são congelados para utilização em um novo ciclo.

O número de embriões criopreservados vem crescendo nos últimos anos e trata-se de uma técnica segura, quando realizada por um embriologista experiente e capacitado para este congelamento.

Os embriões podem permanecer congelados por tempo indeterminado até que exista a necessidade ou indicação de descongelamento para transferência ao útero materno através do procedimento conhecido como transferência de embriões congelados. Saiba mais sobre esse processo clicando aqui.

Congelamento de Espermatozoides

O congelamento de espermatozoides é um procedimento que pode ser indicado em situações onde existe o risco de perda da fertilidade masculina ou para homens que serão submetidos a um procedimento como a vasectomia, por exemplo.

Coletado através da masturbação, o sêmen do paciente é congelado a -196ºC e pode ser armazenado por tempo indeterminado, ou seja, até quando houver desejo por parte do homem em utilizá-los.

Para garantir a qualidade do material obtido, normalmente, recomenda-se que sejam coletadas 2 ou 3 amostras de sêmen do paciente, dependendo da avaliação e indicação médica.