Dúvidas mais comuns de quem busca tratamento de Reprodução Humana

por Originare

Cada pessoa tem suas dúvidas e preocupações particulares quando entra em uma clínica de reprodução assistida. Na lista abaixo, compilamos as principais perguntas que os casais fazem quando procuram um tratamento para engravidar.

Tratamento de Reprodução Humana: as dúvidas

A gravidez via FIV é garantida?

Não. As técnicas mais avançadas em reprodução assistida não garante que a gravidez vá ocorrer. Dessa forma, a FIV garante a transferência dos melhores embriões para o útero da paciente. Após a transferência a gestação está sujeita a fatores naturais, como abortos.

Quais as chances de a gravidez acontecer na primeira tentativa?

Muitos fatores influenciam o sucesso de uma FIV. Adiante, seguem taxas de sucesso, considerando a idade da mulher em caso de utilizar óvulos próprios ou em caso de óvulos doados consideramos a idade da doadora e não da receptora. Estima-se que mulheres até 35 anos possuem entre 50 a 60 % de engravidar. Entre 36 a 39 anos, possuem por volta de 30 a 40% de taxa de gravidez. Após os 40 anos, essa probabilidade cai para 15 a 20%.

Qual a probabilidade de uma gravidez de gêmeos?

Em um tratamento de reprodução assistida, as chances de acontecer uma gravidez de gêmeos aumenta consideravelmente se comparado com uma gestação natural, podendo chegar a 25% de probabilidade. Isso acontece porque as mulheres que passam pelo procedimento da FIV podem optar por transferir 2 ou até 4 embriões para o útero.

Quantos embriões posso transferir para o útero?

O número de embriões a serem transferidos vai depender de características individuais e saúde da mulher, da qualidade dos embriões e da lei vigente no Brasil. A saber, o número limite de embriões que podem ser colocados no útero vai de acordo com a idade da mulher. Até 35 anos, 2 embriões; 36 a 39 anos, 3 embriões; 40 anos ou mais, 4 embriões.

É possível escolher o sexo do bebê?

O Conselho Federal de Medicina só permite a escolha do sexo do bebê caso os pais tenham algum tipo de doença hereditária determinada pelo sexo do indivíduo afetado com a doença. Nas demais situações, a prática é proibida.

Qual é a idade máxima para se submeter a um tratamento de reprodução assistida?

Não existe uma idade limite, uma vez que a composição genética de cada mulher pode influenciar na sua capacidade de conceber um filho e em alguns casos pode utilizar óvulos doados. Normalmente, recomenda-se que as mulheres não tenham mais do que 44 anos para se submeter ao procedimento com óvulos próprios. Porém existem casos reportados de mulheres que conseguiram engravidar espontaneamente em idade mais avançada. Dessa forma, em caso de utilizar óvulos doados, é possível se submeter ao tratamento em qualquer idade. Isso desde que esteja com saúde comprovada por exames e avaliação médica. Por isso, é importante consultar uma clínica especializada para avaliar seu caso.

Meu bebê terá problemas genéticos?

A taxa de malformação nos bebês não aumenta pelo fato de se fazer FIV. Os estudos sugerem que casais inférteis têm maior taxa de malformações fetal devido a uma ligação entre a taxa de malformações e a condição de infertilidade do casal. Não ao fato de fazer FIV. Quando se leva em conta esse fator, a chance de malformação do bebê se torna a mesma, comparando gravidez natural e de tratamento de reprodução assistida. Nesse sentido, essa questão ainda não tem uma resposta definitiva. Muita pesquisa tem sido feita nesse sentido, no entanto, o que se sabe atualmente é que procedimento de FIV não colabora para o aumento da incidência de malformações

Deixe um comentário