DOENÇAS QUE AFETAM A FERTILIDADE FEMININA

Síndrome dos Ovários
Policísticos (SOP)

A Síndrome dos Ovários Policísticos, popularmente conhecida como SOP, é uma das condições clínicas mais comuns entre as disfunções endócrinas que atingem as mulheres em idade reprodutiva. Mulheres com distúrbios ovulatórios, podem receber o diagnóstico de SOP.

A infertilidade feminina pode ser afetada devido a um desequilíbrio hormonal caracterizado por irregularidades menstruais, hiperandrogenismo (aumento da produção de andrógenos como testosterona), resistência à insulina e alteração na morfologia dos ovários com a presença de cistos, dificultando a gravidez.

Clínica Originare - Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP)

Diagnóstico

O diagnóstico da Síndrome dos Ovários Policísticos em uma mulher pode ser feito por avaliação clínica e/ou laboratorial e ultrassonográfica através do exame ultrassom transvaginal, permitindo a avaliação morfológica dos ovários. A presença de dois ou mais sintomas de SOP na mulher pode determinar o diagnóstico da doença.

O histórico menstrual da paciente, considerando irregularidade menstrual, é um critério bastante objetivo para avaliação da SOP.

Um ovário do tipo policístico apresenta padrões diferenciados com a presença de cistos de pequeno diâmetro que, na maioria das vezes, estão dispostos de forma semelhante a um colar de pérolas.

Dosagens hormonais de prolactina, FSH (hormônio folículo estimulante), TSH (hormônio tireo estimulante), LH (hormônio luteinizante) e perfil hormonal androgênico podem ser úteis nesta avaliação.

Sintomas

Os sintomas podem variar de acordo com a gravidade da SOP, porém, os mais comuns são:

  • Irregularidade e/ou atraso da menstruação;
  • Obesidade;
  • Alopecia (queda e/ou falhas no cabelo);
  • Crescimento de pelos no rosto, abdômen e mamas;
  • Oleosidade no cabelo e na face;
  • Acne;
  • Dificuldade para engravidar.

A irregularidade menstrual está presente em cerca de 85% das pacientes em idade reprodutiva. A Síndrome dos Ovários Policísticos pode ainda ocasionar doenças graves como as cardiovasculares, câncer do endométrio e a diabetes tipo 2.

Tratamento

A Síndrome dos Ovários Policísticos manifesta-se de diferentes formas nas mulheres e por este motivo seu tratamento deve ser individualizado, considerando o desejo reprodutivo da paciente.

Devido ao fato de muitas mulheres com SOP possuírem um índice de massa corpórea maior, quando é este o caso, existe a chance de desenvolver resistência à insulina.

Nesta situação, recomenda-se a utilização de sensibilizadores, que têm como objetivo melhorar a atuação da insulina no organismo destas mulheres, diminuindo a taxa de insulina e, consequentemente, melhorando o ciclo menstrual.

Clínica Originare - Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP)

Qualidade de vida

Alguns estudos comprovam que a perda de 5% da massa corpórea pode ajudar as mulheres a regularizarem o ciclo ovulatório. Por isso, entre as principais recomendações para as mulheres diagnosticadas com Síndrome do Ovário Policístico estão uma dieta equilibrada e a prática de exercícios físicos.

A melhora da qualidade de vida da mulher portadora de SOP, através da prática de exercícios físicos, traz benefícios não apenas para o controle da doença, mas para as condições gerais da paciente.

Do ponto de vista clínico, a restauração dos ciclos ovulatórios da paciente com SOP pode ser feita através de hormônios indutores da ovulação que propiciam o restabelecimento desses ciclos.

A gestação natural pode acontecer após a restauração do ciclo menstrual, dependendo da avaliação geral da paciente e do casal.

Os tratamentos de reprodução assistida como, por exemplo, a Fertilização In Vitro (FIV) , não são indicados para todas as mulheres que possuem a Síndrome dos Ovários Policísticos. Os tratamentos de reprodução assistida podem ser recomendados para aqueles casais que possuem outra causa de infertilidade além da SOP, como obstrução nas trompas ou um fator masculino presente no parceiro.