DOENÇAS QUE AFETAM A FERTILIDADE MASCULINA

Infecções do trato
genital masculino

As infecções do trato genital masculino são causas potencialmente tratáveis de infertilidade masculina.
Em geral estão associados a inflamação local, e apesar do efeito direto ainda estar em estudo, podem comprometer a produção, o transporte e até mesmo a função dos espermatozoides.

Essas infecções podem ser sintomáticas ou assintomáticas. Portanto, é importante que todos os homens realizem acompanhamento médico constante, visto que algumas dessas infecções do trato genital podem trazer sequelas com o passar do tempo e devem ser tratadas corretamente.

Conheça, a seguir, as quatro principais infecções do trato genital masculino que podem levar à infertilidade.

Clínica Originare - Infecções do trato genital masculino

Epididimite

A epididimite é uma inflamação do epidídimo (ducto por onde os espermatozoides passam no processo de maturação) causada por bactérias, dentre elas a Chlamydia e Neisseria. Pode estar associada à uretrite, tema do próximo tópico.

Pode ser adquirida pelo contato sexual, mas também é associada a infecções do trato urinário em pacientes de idade mais avançada.

Diagnóstico

Caso observe algum dos sintomas apresentados no próximo tópico, o homem deve imediatamente se consultar com um urologista que, ao realizar o exame físico por meio de observação e palpação, já conseguirá identificar se existe alguma anormalidade na região.

Outros exames de sangue, de urina ou métodos de imagem como a ultrassonografia poderão ser solicitados pelo urologista caso necessário.

Sintomas

Os sintomas mais comuns apresentados pelos portadores de Epididimite são:

  • Dor ao urinar;
  • Dor na relação sexual e/ou ao ejacular;
  • Vontade de urinar com maior frequência;
  • Indícios de sangue no sêmen;
  • Escroto avermelhado, inchado ou com temperatura
    mais alta que o normal;
  • Intumescimento dos gânglios linfáticos da virilha;
  • Presença de secreção na uretra e febre.

Tratamento

O tratamento da epididimite é feito normalmente com antibióticos ou anti-inflamatórios e repouso.

Prostatite aguda

A prostatite aguda pode ter várias causas, e entre as causas bacterianas está principalmente a infecção pela Escherichia coli. Pode ser ocasionada por outros tipos de infecções urinárias ou por bactérias que chegam via corrente sanguínea. Prostatites bacterianas crônicas são aquelas com mais de 3 meses de duração.

As prostatites podem prejudicar a fertilidade através de processos que ainda estão em definição. Dentre os possíveis mecanismos envolvidos estão alterações na ejaculação, com redução do volume seminal e aumento de produção de substâncias inflamatórias, que podem piorar a qualidade dos espermatozoides. Sendo assim, a prostatite pode dificultar tanto uma gestação natural quanto as técnicas de reprodução assistida.

Diagnóstico

O médico inicia a avaliação através da história clínica e do exame físico e, posteriormente, se considerar necessário pode solicitar exames de sangue, de urina, de Antígeno Prostático Específico (PSA), ultrassonografia ou ressonância magnética.

Sintomas

A Prostatite Aguda se manifesta através de uma inflamação ou infecção da próstata, que é a glândula sexual masculina responsável por produzir parte do líquido seminal, fundamental para a fertilidade. Seus principais sintomas são:

  • Dificuldade ao esvaziar a bexiga e dor ao urinar;
  • Aumento da vontade de urinar;
  • Febre;
  • Mal-estar;
  • Urina de cor turva;
  • Dor na região do períneo.

Tratamento

O tratamento da Prostatite aguda deve ser realizado por antibióticos e tem duração prolongada de pelo menos 2 semanas, podendo se estender até 4 semanas. Analgésicos também podem ser recomendados para alívio dos sintomas.

Para definir o medicamento ideal para tratar cada paciente, o urologista pode solicitar um exame denominado Urocultura, que nada mais é do que um exame de urina específico para verificar a existência de infecções.

Clínica Originare - Infecções do trato genital masculino

Diagnóstico

Identificada pelo urologista através do exame físico e da história clínica. Como parte do diagnóstico também podem ser realizados exames de sangue, ultrassonografia da bolsa testicular e pesquisa de micro-organismos na urina ou sêmen do paciente.

Sintomas

A orquite crônica normalmente não apresenta sintomas, porém, a orquite aguda costuma se manifestar nos homens através de:

  • Inchaço e dor nos testículos que pode se irradiar;
  • Vermelhidão na região escrotal;
  • Sangue na ejaculação e/ou na urina.

Tratamento

O tratamento desta infecção varia de acordo com o tipo e a causa da Orquite. Porém, é comum que os médicos recomendem repouso, anti-inflamatórios, visando diminuir os sintomas.

No caso específico de Orquite bacteriana, são receitados antibióticos para tratar a doença. Já na Orquite viral, recomenda-se tratamento dos sintomas.

Orquite

Esta infecção se manifesta através da inflamação de um ou dos dois testículos do homem, podendo ser aguda ou crônica. Quando se apresenta em conjunto com infecção do epidídimo é chamada orquiepididimite, e a diferenciação clínica pode ser difícil.
Quando aguda, assim como a epididimite, em geral é sexualmente transmitida e causada pela Chlamydia trachomatis e Neisseria gonorrhoeae, em indivíduos jovens, sendo a Escherichia coli ou E. coli a causa em indivíduos mais idosos. Pode ser ainda causada por vírus, vindo da corrente sanguínea, principalmente o vírus da Caxumba.

Orquites têm potencial de deixar sequelas como redução do volume testicular, prejuízo da função do testículo ou obstruções secundárias à cicatrização e fibrose.

Clínica Originare - Infecções do trato genital masculino

Uretrite

A Uretrite, quando de causa infecciosa, em geral é sexualmente transmissível e pode acometer a uretra tanto dos homens quanto das mulheres. Neste texto, abordaremos os seus efeitos em pacientes do sexo masculino. Conheça agora os principais tipos da doença.

  • Gonocócica - Causada pela bactéria Neisseria gonorrheae.
  • Não Gonocócica - É causada por alguns tipos específicos de microorganismos como, por exemplo, Chlamydia trachomatis, Ureaplasma e Mycoplasma.

As uretrites quando não tratadas podem ser a fonte de infecção dos epidídimos ou testículos.

Diagnóstico

Inicialmente, após identificação dos sintomas, o urologista irá analisar o histórico do paciente para depois solicitar alguns exames como o de urina e o de análise da secreção uretral.

Sintomas

Quando não tratada de forma adequada, a Uretrite pode prejudicar a fertilidade, por isso, os seus sintomas iniciais exigem atenção. Confira a seguir.

  • Secreção na uretra;
  • Sangue na urina e/ou no sêmen;
  • Aumento do desejo e frequência de urinar;
  • Dor na relação sexual e/ou ejaculação;
  • Coceira no canal uretral;
  • Febre.

Tratamento

O tratamento da Uretrite é realizado através de antibióticos, que podem variar de acordo com a possível causa da infecção.